Cantor sertanejo é morto em tentativa de assalto
02/12/2017 - 14h29 em Artistas

Marco Boettier, foi assassinado com um tiro no peito por assaltantes quando pedalava por São Leopoldo (RS) na tarde da última segunda-feira.

O cantor Marcos Boettier estava a caminho de casa, em Sapucaia do Sul, quando, por volta das 18h, foi atacado por dois criminosos que queriam levar sua bicicleta e os equipamentos. Depois de balear o músico, os bandidos fugiram a pé sem levar nada. A bicicleta era a mais recente companhia do homem que há dois anos havia largado a profissão de eletrotécnico para apostar no sonho de se tornar cantor sertanejo. Conhecido como Marco Boettier no mundo da música, ele já tinha a agenda lotada com shows na região do Vale do Sinos.

Minutos antes do crime, o músico havia ligado para casa avisando a esposa que chegaria para tomar café. De acordo com o delegado Rodrigo Zucco, da 2ª Delegacia da Polícia Civil de São Leopoldo, a bicicleta, o capacete e a câmera GoPro que Boettier carregava provavelmente foram os atrativos para a dupla armada. Os investigadores buscaram, na manhã desta terça-feira (28), imagens que pudessem levar à identificação dos suspeitos, mas nenhuma câmera de segurança foi encontrada nas proximidades.

“Os assaltantes abordaram a vítima e, pelas informações que colhemos, houve reação. Ele deu um soco em um dos criminosos e o comparsa acabou atirando” relata o delegado.

Um motorista ainda não identificado pela polícia, percebendo a situação, ainda jogou o carro sobre os bandidos, mas eles conseguiram fugir a pé. O homem prestou socorro ao músico, mas Boettier morreu em atendimento.

A morte interrompeu o maior sonho de Marco Boettier, que era sair do Estado com a sua música.

“Ele estava persistindo e realmente estava dando certo. Tinha conseguido montar a casa como queria, com a esposa, e estava fazendo o seu nome aqui na região. Ele queria brilhar no sertanejo” conta a irmã.

No próximo sábado, Marco Boettier faria um show em São Leopoldo. Entre amigos e admiradores, estava Jean Moreira, 40 anos.

“Todas as músicas que ele gravava, imediatamente nos mandava vídeo, gravava no pendrive para ouvirmos no carro. Sou suspeito para falar, porque o Maquinhos era como um irmão, mas ele tinha muito talento e um sonho. É inexplicável uma pessoa morrer, e ter tudo isso destruído, por uma bicicleta.” Finalizou a irmã do cantor

www.movimentocountry.com

COMENTÁRIOS