Paula Mattos faz desabafo sobre preconceito na música sertaneja
27/11/2017 - 18h00 em Artistas

Paula Mattos faz desabafo e revela que ainda há um preconceito muito grande na música sertaneja sobre as mulheres!

Com raríssimas exceções na história, como Irmãs Galvão, Inesita Barroso, Roberta e Sula Miranda, trata-se de um ambiente onde as duplas e cantores solos dominaram o tempo todo.

Mas o surgimento de cantoras como Paula Mattos, que acaba de lançar o segundo DVD, tenta acabar com essa hegemonia ou ao menos equilibrar a conta. Ao lado de Marília Mendonça, Simone e Simaria, Nayara Azevedo, Day e Lara e Maiara e Maraisa, ela integra o time de revelações do ano de 2016 que fez não só esse panorama começar a mudar, mas também é mais uma compositora que traz uma visão feminina aos temas tradicionalmente abordados no sertanejo, como amor, traição e baladas.

Essa tríade de assuntos pode ser observada no DVD Paula Mattos Ao Vivo em São Paulo, com títulos que deixam claro a visão dela sobre os assuntos comuns ao estilo. Coisa de Ex, Brigar pra que e É Interesse Mesmo prova que a cantora não é de mandar indireta quando o assunto é escrever material para os seus próprios trabalhos.

Mas nem sempre ela pode ser direta assim ou tão autobiográfica. Originalmente compositora requisitada por homens como Henrique e Juliano, Wesley Safadão, Luan Santana, Gusttavo Lima, Paula também precisa ter sensibilidade para escrever com outros ganchos e se colocar em outras posições. Mas é nas suas interpretações que a inspiração vem mais forte.

“Mulher sempre sofreu preconceito no sertanejo e teve pouco espaço. E o espaço que conquistamos tem a ver com identificação. Escrevemos o que vivemos e a mulherada estava carente de música que tivesse mais a ver com o universo feminino. E eu só consegui colocar minhas experiências nas letras por completo quando virei cantora também.” comentou Paula Mattos

E assim como várias mulheres que a acompanham, a jovem cantora de 27 anos enfrenta dilemas que expõe na música, tanto quanto aqueles que atingem a vida pessoal de qualquer um.

Ao despontar para o sucesso com o primeiro porjeto, o DVD Acústico, Paula viu sua imagem exposta pela primeira vez em nível nacional e sofreu críticas sobre a aparência estar fora do padrão. Isso, inicialmente, não foi um problema para ela, que não é de absorver críticas. Mas as condições de saúde que se deterioraram com o sobrepeso fez com que ela também mudasse hábitos.

“Toda mulher acaba enfrentando esse dilema na vida em algum momento. Estar fora dos padrões, no entanto, não é nenhum problema. A questão é que eu fui diagnosticada com problemas graves de pressão alta, colesterol e até meu fígado foi afetado. Atingi mais de cem quilos. E eu sou muito nova. Resolvi que não podia me entregar às doenças dessa forma.”

A mudança é clara. Ao comparar as capas do primeiro e do segundo DVD, é possível enxergar uma Paula Mattos mais autoconfiante e bastante mudada.

“Eu precisava me sentir bem. Não foi por conta de cobrança externa, mas interna. Até porque, a minha aparência não impacta minha criatividade. Mas minha saúde sim. Desde que perdi peso e resolvi esses problemas, estou mias disposta, faço shows melhores e rendo mais.”

A agenda de Paula de fato exige certa resistência física. Com até 15 datas em um único mês, ela tem rodado o País, principalmente as regiões Sudeste e Centro-Oeste. Mas o foco dela não é só o palco. Compositora, Paula ainda continua requisitada por outros artistas e não deixa de escrever. São mais de mil composições feitas e 300 gravadas até agora. E os pedidos não param de chegar.

“Não tenho ciúmes de ceder uma música minha, não. Quem pede é atendido. E eu tento fazer com o perfil da pessoa, até porque, quando é pra mim, faço diferente. Sempre estou compondo. Hoje menos. Tem dias que não faço nenhuma, mas quando sobra tempo, sai até cinco de uma vez. Quem está de fora, não imagina. Mas estar bem e saudável tem tudo a ver como um trabalho artístico bem-feito.”

www.movimentocountry.com

COMENTÁRIOS